Fígado

4 Doenças Que Podem Acometer O Fígado

O fígado é a maior glândula do corpo humano e desempenha diversas funções importantes  no organismo, tais como, armazenamento e liberação de glicose, metabolismo de gorduras, síntese de proteínas, entre outros.

No entanto, assim como outros órgãos, ele também pode ser acometido por uma série de doenças, comprometendo todo o funcionamento do corpo. A seguir, preparamos uma lista com as doenças hepáticas mais comuns.

1) Esteatose hepática

Trata-se de um distúrbio que se caracteriza pelo acúmulo de gordura no interior das células do fígado (hepatócitos). Esse aumento, quando constante e por tempo prolongado, pode provocar uma inflamação capaz de evoluir para quadros graves de hepatite gordurosa, cirrose hepática e até câncer.

Ainda, a doença hepática gordura, como é chamada, é uma condição muito comum que pode se manifestar ainda na infância. No que se refere às causas, a esteatose hepática pode ser alcoólica e não alcoólica. No primeiro caso, está relacionada ao consumo excessivo de álcool.

Já a não alcoólica pode estar relacionada a diversos fatores, tais como, sobrepeso, diabetes, má nutrição, perda de peso, sedentarismo, gravidez e histórico de cirurgias. Além disso, existem evidências de que a síndrome metabólica e a obesidade podem contribuir para o aparecimento da doença.

Entre os principais sintomas associados à esteatose hepática estão: dor, cansaço, fraqueza, perda de apetite e aumento do fígado. Em estágios avançados, o paciente pode apresentar ascite, encefalopatia, confusão mental, hemorragia e icterícia.

2) Hipertensão portal

A hipertensão portal se caracteriza por um aumento anormal da pressão sanguínea na veia porta, uma veia de grande calibre que transporta o sangue do intestino até o fígado e nas suas ramificações.

No que se refere às causas, existem dois principais fatores que podem aumentar a pressão sanguínea nos vasos sanguíneos portais: aumento do volume de sangue fluindo pelos vasos e resistência do fígado ao aumento do fluxo sanguíneo.

Essas condições estão relacionadas à hepatite C crônica, consumo excessivo de bebidas alcoólicas e doença hepática gordurosa não alcoólica. Quando instalada, a hipertensão portal faz com que o baço aumente de tamanho.

Embora isoladamente não cause sintomas, as consequências dessa doença podem causar sintomas tais como, distensão abdominal, desconforto na parte superior do abdômen, vômito ou fezes com presença de sangue, confusão mental e insuficiência hepática.

3) Icterícia obstrutiva

A icterícia se caracteriza pelo amarelamento da pele e da parte branca dos olhos, podendo ter diferentes causas, sendo a obstrução dos canais biliares a mais comum, que pode ocorrer desde a porção interna do fígado até a região mais distante do fígado.

No que se refere aos sintomas, o mais comum é a própria icterícia, que pode afetar também a coloração da urina. Outros sinais são coceira e dor na parte superior do abdômen, logo abaixo das costelas. Quando há infecção, pode ocorrer febre.

Ainda, a obstrução biliar pode ser provocada por uma série de fatores. Os mais recorrentes são a presença de cálculos ou tumores nas vias biliares, tumores de vesícula biliar e de pâncreas, e colangite esclerosante primária.

4) Hepatites

Trata-se de um problema de saúde muito comum e que se caracteriza por uma inflamação que ocorre no fígado a partir do ataque aos hepatócitos. As hepatites são classificadas de acordo com as suas causas. As mais comuns são:

  • hepatite A: é o tipo causada pelo vírus VHA que é transmitido pela ingestão de alimentos ou água contaminadas ou pelo contato com pessoas portadoras desse microrganismo. Fadiga, dor muscular, urina escura e perda de apetite são sintomas relacionados;
  • hepatite B: é causada pelo vírus VHB, que pode ser adquirido pelo contato com sangue ou leite materno infectados, sendo também uma doença sexualmente transmissível (DST). Entre os principais sintomas deste tipo de hepatite estão: perda de apetite, náuseas e vômitos, fraqueza e fadiga e icterícia;
  • hepatite C: causada pelo vírus C e sua transmissão se dá através do contato com sangue contaminado, seja por transfusão ou ingestão de drogas injetáveis. Essa é a forma mais grave da doença e pode ocasionar inchaço, dor abdominal, coceira, sangramento no esôfago ou no estômago.

Então, com a leitura deste post, você acabou de conhecer os aspectos mais importantes sobre algumas das doenças mais comuns do fígado. Portanto, se perceber alguma alteração no corpo ou um sintoma anormal, procure o seu médico.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião em Belo Horizonte! 

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp