eixo intestino e cérebro

Eixo intestino e cérebro: entenda a relação

Você já ouviu a afirmação de que o intestino é o nosso segundo cérebro? Embora pareça estranho, esse entendimento tem base científica. Isso porque, além de contar com milhões de neurônios, há uma forte conexão entre intestino e cérebro.

Se você nunca ouviu falar nessa relação, não deixe de ler este post. Ao final da leitura, você terá a total compreensão a respeito do eixo que conecta esses dois órgãos tão importantes para o organismo.

O que é o eixo intestino e cérebro?

O termo eixo intestino-cérebro é utilizado para indicar uma relação bidirecional entre o sistema gastrointestinal e o sistema nervoso central. Essa comunicação constante é facilmente percebida quando observamos os sinais de fome e saciedade.

Entretanto, a importância dessa conexão vai, além disso. Acredita-se que ao compreender a relação entre intestino e cérebro, seria possível entender a ligação entre depressão, obesidade, doenças neurodegenerativas e autoimunes.

Isso porque as bactérias que habitam o intestino possuem receptores que se comunicam diretamente com o cérebro. Assim, a ocorrência de alterações na microbiota intestinal pode contribuir para o desenvolvimento desses diversos transtornos emocionais e até de câncer.

Entenda a microbiota intestinal

Com o aprofundamento do conhecimento a respeito do eixo intestino-cérebro, descobriu-se que a microbiota intestinal exerce múltiplas funções no organismo, ajudando a manter o equilíbrio metabólico e atuando na maturação do sistema imunológico.

Quando falamos de microbiota intestinal, estamos falando das diferentes espécies de bactérias e microrganismos que colonizam o intestino. Para que você tenha uma ideia, a flora intestinal responde por cerca de 2 a 3 quilos do peso total de uma pessoa.

Ainda, essas colônias de bactérias tem papel decisivo na manutenção da saúde, pois auxiliam na digestão dos alimentos, protegem o corpo de infecções, influenciam em nosso comportamento e emoções.

Ademais, a relação do organismo com a microbiota é pacífica e benéfica para ambos os lados. Isso porque conseguem encontrar no intestino os nutrientes necessários para sua sobrevivência e, em troca, ajudam a regular o funcionamento do organismo.

Qual o papel da microbiota intestinal para o organismo?

Além de tudo o que já mencionamos a respeito das funções da microbiota intestinal, elas também desempenham outra atividade muito importante: produzir hormônios responsáveis  pela sensação de bem-estar.

Ainda, a relação entre intestino e cérebro é tão próxima que cerca de 90% da serotonina e 50% da dopamina presente no organismo é fabricada pelas bactérias do intestino. Assim, quando o intestino está saudável, a comunicação no eixo intestino-cérebro flui perfeitamente.

Com isso, você passa a se sentir com mais energia, consegue controlar melhor o nível de estresse mental, os sinais de fome e saciedade são enviados no tempo certo, os nutrientes são sintetizados com mais eficiência e você é capaz de manter uma atitude mais equilibrada. 

Entretanto, alguns hábitos negativos podem prejudicar a microbiota, fazendo com que haja um crescimento no número de bactérias ruins para o organismo, como, por exemplo, ingestão acentuada de açúcares, carboidratos ou gorduras hidrogenadas e uso contínuo de medicamentos.

Em consequência disso, há um considerável prejuízo na comunicação entre esse eixo, suprimindo a produção de serotonina, contribuindo para o desenvolvimento de depressão, ansiedade, doenças neurodegenerativas e autoimunes.

Portanto, se você deseja afastar o risco dessas patologias e levar uma vida tranquila, adote um estilo de vida saudável, principalmente no que se refere à alimentação. Com isso, a conexão entre intestino e cérebro funcionará adequadamente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião em Belo Horizonte! 

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp